traffic lights - different focus

Ou você controla o seu dia, ou ele controla você. Essas sábias palavras vêm do guru de negócios americano Jim Rohn. E ele foi muito preciso ao proferi-las – muitas vezes, deixamos as horas escaparem até que tenham acabado com o nosso dia. E isso acontece com frequência nas grandes cidades, como São Paulo, onde as filas de veículos e os extensos engarrafamentos fazem com que o tempo no trânsito seja um verdadeiro desperdício.

Muito se fala sobre a importância do gerenciamento do tempo. Essa estratégia é fundamental para se ter mais qualidade de vida e viver com menos estresse. Mas, muitas vezes, parece impossível ter o controle da ampulheta, especialmente se considerarmos o movimento “arranca, para, arranca, para”, que já faz parte da rotina.

Tudo o que mais ansiamos após um longo dia de trabalho é entrar em nosso carro e chegar ao nosso destino de forma rápida e confortável, certo? E dirigir por aí, com a brisa no rosto, em uma estrada vazia pode realmente ser uma terapia prazerosa. Entretanto, quando estamos confinados no veículo, sem nos mover, o tempo no trânsito não é nada agradável.

Será que você está desperdiçando o seu dia atrás do volante ou no banco do ônibus? A seguir, mostraremos quanto tempo no trânsito você perde. Confira!

Sinal vermelho: números de parar o trânsito

O enredo da novela já é conhecido: casa – trabalho, trabalho – casa. O tempo passa, e você continua ali, parado, entre centenas de carros. A cada minuto cresce mais o nervosismo. Você já se pegou perguntando quanto de vida está perdendo nessa trama?

Se você gasta horas do seu dia para ir e voltar do trabalho, não está sozinho. Você faz parte de um grupo de milhões de brasileiros.

Cada vez mais, o trânsito tem se tornado um problema insustentável. Além de a situação prejudicar a mobilidade e acarretar em uma série de impactos ambientais, a população se vê presa em uma armadilha que consome dinheiro, saúde mental, paciência e tempo – muito tempo.

As capitais brasileiras registram um alto índice de engarrafamento. Para se ter uma ideia, no top 15 das cidades mais congestionadas do mundo, três delas são brasileiras: Rio de Janeiro, Salvador e Recife.

Algumas estatísticas referentes à rotina de São Paulo, por exemplo, podem ser assustadoras. Estima-se que o paulistano passe por ano, em média, o equivalente a um mês e meio parado no trânsito. A capital paulista, conhecida pelo trânsito difícil, é a 71ª cidade mais congestionada do mundo. Não é à toa que a população é conhecida por estar sempre apressada para seus compromissos, não é mesmo?

Como o tempo no trânsito atrapalha a sua rotina?

Você já teve a impressão de que boa parte do seu tempo de deslocamento é usada para amaldiçoar os veículos à sua frente enquanto espera no trânsito? Pois você não está sozinho! Estima-se que o brasileiro passe quase 40 dias por ano no trânsito nas capitais. Dá para acreditar?!

Quer saber se você se inclui nessa categoria? Então comece a contar! Experimente fazer o seu trajeto em um dia calmo, como um feriado, por exemplo. Calcule o tempo que você demora para ir até o trabalho, à academia, à escola dos filhos ou a qualquer outro compromisso diário. Feito isso, compare a diferença desse dia com o tempo de ida e volta em uma semana comum. Depois, pegue esses dados e multiplique-os por 20 dias (dias trabalhados no mês) para ver quanto tempo no trânsito você perde.

Suponha que você gaste 40 minutos para ir até o seu trabalho. Para o trajeto de ida e volta, são necessários 80 minutos. No mês, lá se vão 1.600 minutos. No ano, chegamos a 17.600 minutos, já descontando o mês de férias.

Com esse cálculo rápido, é simples chegar à conclusão de que você gasta quase 294 horas no ano, ou seja, quase 13 dias inteiros do seu tempo no trânsito, unicamente para se deslocar até o trabalho.

Quem também teve a ideia de calcular o tempo perdido no trânsito por conta dos índices de congestionamento, foi o portal O Globo. Na página, é possível utilizar um infográfico interativo para descobrir a média de quanto tempo você ainda gastará, até a sua aposentadoria, para se deslocar até o trabalho. Basta informar o tempo total gasto na ida e volta do trabalho, o sexo a idade.

Lembre-se de que os desvios na rota, os compromissos de última hora, os passeios de final de semana e demais atividades não estão incluídos nesse cálculo.

Quais são as alternativas para perder menos tempo no trânsito?

Esteja você na direção ou como passageiro de um veículo ou, ainda, no transporte público, é impossível não pensar em como o tempo gasto no trânsito poderia ser mais produtivo. Afinal, o dia só tem 24 horas e ele não faz hora extra!

Encontrar maneiras para preencher as horas com mais eficiência é fundamental para levar uma vida com menos estresse e desgaste mental.

Nesse sentido, criar alternativas para fugir da perda de tempo é a melhor solução. Você pode recorrer a meios de transporte alternativos, como a bicicleta e os aplicativos de caronas compartilhadas, por exemplo.

Usar o tempo no trânsito para fazer algo produtivo também é uma boa opção. Ler, ouvir podcasts, se atualizar sobre as notícias, apreciar um audiobook, organizar a sua agenda, colocar os e-mails em dia, estudar ou descansar são outras estratégias que farão com que o tempo do deslocamento seja menos estressante e mais proveitoso.

Se a distância entre a sua casa e o trabalho for muito grande, comece a avaliar a possibilidade de se mudar para um local que lhe permita “driblar” o trânsito. Essa medida trará mais praticidade e qualidade de vida para os seus dias.

Morar em um prédio que ofereça internamente um espaço de coworking também é uma atitude que reduzirá extremamente o tempo gasto no trânsito, fazendo seu tempo render mais.

E então, ficou surpreso com quanto tempo no trânsito você perde? Tem algum conselho para outros leitores que compartilham dessa angústia diária? Deixe um comentário e até a próxima!

0
master
Posts Relacionados