6 sinais de imóvel com baixa liquidez

5 minutos
|03/10/2019
6 sinais de imóvel com baixa liquidez
Investimento Imobiliário

De fato, quanto menor for o tempo de espera para converter o imóvel em venda ou aluguel, maior será o nível de liquidez desse investimento. Nesse contexto, o que precisa ser levado em consideração é que não é possível nivelar o nicho imobiliário como um mercado de alta liquidez, já que cada propriedade pode apresentar suas particularidades, suas vantagens e seus pontos fracos.

Sendo assim, uma das dicas mais valiosas para quem busca liquidez, além de se atentar aos pontos-chave, é diversificar seus investimentos, mesmo que em uma mesma categoria. Por exemplo, é muito mais interessante e vantajoso ter vários imóveis menores e acessíveis do que um de alto padrão. Além de ser uma carteira provavelmente mais rentável, é muito mais fácil transformar esses imóveis em dinheiro em uma eventual necessidade.

Para ajudá-lo a compreender melhor a dinâmica da liquidez no mercado imobiliário, confira outras dicas e boas práticas a seguir.

Liquidez e rentabilidade são a mesma coisa?

Apesar de o objetivo principal ser o lucro, liquidez e rentabilidade são duas coisas diferentes, mas muito importantes na hora de investir em um imóvel. O primeiro conceito diz respeito à capacidade do ativo de se transformar em dinheiro, enquanto o segundo se refere ao percentual de remuneração que você receberá ao aplicar nele.

Há investimentos que oferecem melhor rentabilidade, mas pouca liquidez. Então, se você quer algo que facilmente seja transformado em dinheiro vivo, pense que, sob essa ótica, não adianta o seu imóvel valer muito, seja para venda ou aluguel, se no momento que você mais precisa for difícil comercializá-lo.

A verdade é que a sua atitude depende do seu perfil de investidor e dos seus interesses. Sendo assim, se você deseja fazer um investimento que ofereça retorno rápido, deverá levar em conta a liquidez. No entanto, se o intuito é obter percentuais de lucros maiores e que seja um retorno no longo prazo, o ideal é avaliar sua rentabilidade.

Imóvel com baixa liquidez: fuja deles!

A seguir, confira algumas dicas para detectar imóvel com baixa liquidez que pode representar mau negócio para você.

1. Estatísticas que demonstram a falta de interesse do mercado em determinado tipo de imóvel

Algumas instituições, como o Secovi, maior sindicato do mercado imobiliário da América Latina, publicam periodicamente relatórios que mostram o cenário do setor. Com informações como imóveis que mais vendem de acordo com a metragem, o número de quartos e outras características, fica mais fácil identificar as alternativas com mais liquidez e evitar aqueles com maior propensão à serem imóvel com baixa liquidez.

2. Imóveis mal localizados

A localização de um imóvel é uma das principais características que devem ser avaliadas na hora de investir. Pense como seu comprador ou inquilino e leve em considerações questões como segurança, infraestrutura, acesso às principais vias da cidade, facilidade de locomoção com transporte público, etc.

3. Imóveis rurais e afastados dos grandes centros

As negociações de sítios, ranchos e fazendas costumam ser bem mais longas se comparadas às das propriedades urbanas. Assim, quem está procurando imóveis no interior para investir geralmente passa muito tempo em busca de oportunidades que ofereçam um bom custo-benefício.

Essa mesma demora deverá ser registrada na hora de tentar comercializar ou alugar esse imóvel. O mesmo acontece com empreendimentos destinados a lazer, tais como as casas de campo com piscina, churrasqueira, casas na praia, etc.

4. Imóveis luxuosos

Existem muito mais compradores com a renda entre baixa e mediana do que com renda alta. Por isso, os imóveis luxuosos são mais difíceis de vender, apesar, naturalmente, de não ser impossível comercializá-los.

Mas, pode reparar, as faixas de “vende-se ou aluga-se” ficam muito mais tempo expostas nas casas de alto padrão. Por isso, vender uma propriedade de até R$ 500 mil, por exemplo, é muito mais fácil do que uma que custe mais de um milhão.

5. Imóveis de maior metragem

O Secovi publicou recentemente um estudo que aponta que empreendimentos menores, como apartamentos, estão cada vez mais fáceis de serem transformados em lucro. Morar sozinho ou ter famílias pequenas é uma tendência da nova geração, e é nesses detalhes que é preciso estar atento para não investir em um imóvel com baixa liquidez. Opte por propriedades menores, porém bem localizadas, seguras e com bom acabamento.

6. Casas antigas são candidatas a imóvel com baixa liquidez

Investir em uma propriedade muita antiga pode parecer um bom negócio no primeiro momento, afinal você deverá pagar um valor muito mais baixo por ela. No entanto, ao vender ou alugar a casa no estado de depreciação, você provavelmente também não conseguirá grandes lucros. Para isso, seria necessário reformar o imóvel e fazer todos os reparos necessários, o que, muitas vezes, acaba não compensando o investimento.

Por fim, lembre-se de que, não basta ter o dinheiro em mãos para investir, é preciso estudar todas as possibilidades para fazer um bom negócio e lucrar mais com o seu investimento. E, para isso, estudar o mercado para identificar perfis de imóvel com baixa liquidez, como os que apresentamos aqui, é fundamental.

E então, pronto para buscar um investimento imobiliário com alta liquidez? Para isso, conheça os imóveis disponibilizados pela Vitacon – são diversos bairros e propostas de empreendimentos alinhados com as mais sólidas tendências do mercado imobiliário.

Compartilhar

Novidades Vitacon

Assine nossa newsletter e acompanhe nossas notícias sempre em primeira mão:

whatsapp