Empréstimo ou financiamento para investir em imóveis?

7 minutos
|22/04/2019
Empréstimo ou financiamento para investir em imóveis?
Investimento Imobiliário

O investimento imobiliário é o sonho de muita gente que deseja aproveitar o bom potencial de rentabilidade e a segurança que esta modalidade de aplicação financeira é capaz de oferecer aos seus investidores. No entanto, é comum que os interessados em investir em imóveis encontrem alguns desafios no processo de descobrir a melhor maneira de fazer o seu investimento imobiliário para que seja bem-sucedido.

Neste sentido, uma dúvida recorrente para quem quer investir em imóveis é relacionada às melhores alternativas para a realização do investimento em uma propriedade: empréstimo ou financiamento – qual a melhor opção? Como analisar estas duas possibilidades de crédito para descobrir a melhor escolha para o seu negócio?

Confira a seguir os principais aspectos que você deve levar em consideração para definir se a melhor opção é um empréstimo ou financiamento para investir em imóveis, e garanta o sucesso do seu investimento imobiliário com boas condições de pagamento.

Quais as diferenças entre empréstimos e financiamentos?

Um empréstimo é uma modalidade de crédito, em que o banco (ou instituição bancária) estará oferecendo uma quantia de dinheiro emprestada em troca da devolução deste valor acrescido de juros. Com isso, o banco permite que você pegue o dinheiro dele para utilizar como bem entender, para então devolver esta quantia mais o valor dos juros – que é o lucro que o banco recebe com o processo e a recompensa da instituição por ter corrido o risco de você não devolver o dinheiro.

Um financiamento, por sua vez, também é um tipo de crédito com base no retorno do valor com juros, mas ele necessariamente tem que apresentar uma finalidade definida para ser concedido. Assim, ao entrar com um pedido de financiamento, você deverá comprovar que utilizará este dinheiro para investir em imóveis – tanto que o dinheiro será entregue diretamente ao vendedor da propriedade, sem passar pelas suas mãos antes.

Assim, a principal diferença entre um empréstimo e um financiamento é a finalidade. No entanto, este detalhe influencia em vários outros aspectos das duas modalidades de crédito e podem fazer muita diferença para quem deseja investir em imóveis.

As vantagens do empréstimo

Como foi apresentado no item anterior, uma das vantagens do crédito é não ter restrições quanto ao uso do dinheiro. Com isso, não é necessário comprovar para o banco a sua finalidade com o crédito, seja ela investir em imóveis ou não, o que torna o processo muito menos burocrático do que o financiamento.

Por outro lado, as taxas de juros são negociadas de forma diferente, sendo que o banco determina uma taxa para o retorno do dinheiro emprestado com base no risco de inadimplência que ele está correndo com este empréstimo. Na prática, isso quer dizer que ele irá analisar as chances que existem de que você não seja capaz de pagar o valor de volta e estabelecer juros mais baixos conforme achar que o risco é menor.

O empréstimo sempre será visto como um crédito de risco pelo banco. Uma maneira de aumentar a sua confiabilidade e diminuir o valor dos juros é apresentar garantias, que muitas vezes são obrigatórias antes da liberação do dinheiro, como comprovação de renda, e posse de outros bens como imóveis e veículos.

Outro aspecto a ser analisado é que o empréstimo não costuma abranger valores muito altos. Assim, a quantia permitida pode não ser o suficiente para quem deseja investir em imóveis, que necessitam de valores relativamente altos para a sua aquisição.

As vantagens do financiamento

Ao comprovar que a finalidade do seu financiamento é investir em imóveis para o banco, ele compreende que possui menos riscos por ter mais informações a respeito da transação e ter a opção de confiscar o seu bem caso você deixe de devolver a ele o valor emprestado. Com isso, as taxas de juros cobradas caem significativamente e tornam todo o processo muito mais rentável para o investidor.

A burocracia do processo é maior, pois o banco precisa confirmar que a finalidade do seu financiamento é realmente investir em imóveis. No entanto, esta é uma modalidade de crédito feita com o objetivo de proporcionar melhores condições para a aquisição de bens, como quem quer investir em imóveis. Assim, dificilmente não será a melhor opção para o seu investimento.

Afinal, qual a melhor alternativa para investir em imóveis?

Para quem quer investir em imóveis, é seguro afirmar que o financiamento é quase sempre a melhor opção. As taxas de juros mais baixas costumam representar uma diferença significativa em transações de valor mais alto como as necessárias para a compra de um imóvel, e compensam a burocracia envolvida no processo do financiamento. Além disso, os empréstimos costumam ser de quantias menores, e podem ter limites no valor máximo que pode ser emprestado.

No entanto, sempre é interessante que o investidor faça uma pesquisa entre os bancos e instituições financeiras e analise qual das opções oferece as melhores condições e taxas para o seu crédito, assim como qual instituição é mais vantajosa para os seus negócios. De forma geral, o financiamento costuma ter condições mais favoráveis para quem quer investir em imóveis. Apesar disso, quem já possui um bem imobiliário próprio pode encontrar boas taxas para um empréstimo com garantia de imóvel – onde a sua propriedade é indicada como garantia de pagamento. Tudo depende das condições específicas de cada caso.

Cuidados para não comprometer seu negócio

Sempre é importante lembrar que, em ambas as alternativas, você estará criando uma dívida em seu nome através de um contrato com o banco. Os contratos normalmente incluem cláusulas que determinam aumento de juros para atrasos nas parcelas, sendo não efetuar o pagamento das prestações em dia pode até mesmo gerar multas em alguns casos. No caso do financiamento, como o valor emprestado está atrelado ao imóvel do seu investimento, a inadimplência pode levar à tomada da propriedade pelo banco para evitar que a instituição saia com prejuízos.

Sempre analise com cuidado as cláusulas do contrato, para garantir que não está assinando um documento que pode ser prejudicial aos seus negócios posteriormente. Por exemplo, lembre-se de verificar se as taxas cobradas não são abusivas e estão dentro do que a lei determina. Da mesma forma, analise se o reajuste das parcelas está de acordo com as normas, e é compatível à sua variação salarial. Desta forma, você estará garantindo que o seu negócio de investir em imóveis e as suas economias estão protegidos de problemas de contrato.

Tanto o empréstimo como o financiamento podem ser ótimas alternativas para investir em imóveis e fazer negócios de sucesso. Para isso, é importante que o investidor investigue as condições que os bancos oferecem para cada uma das alternativas e tome cuidado para não cometer erros que podem vir a comprometer o seu investimento.

Você já sabia das diferenças entre empréstimo e financiamento? Já utilizou algum deles para investir em imóveis? Deixe o seu comentário!

Compartilhar

Novidades Vitacon

Assine nossa newsletter e acompanhe nossas notícias sempre em primeira mão:

whatsapp