master
/
16/10/2015
blog4

Crowdfunding permite investir em imóveis com apenas R$ 1 mil

São Paulo – A construtora Vitacon acaba de lançar um projeto de financiamento coletivo – crowdfunding, no termo em inglês – para levantar recursos para a construção de um empreendimento imobiliário na Vila Olímpia, bairro nobre da cidade de São Paulo.

O financiamento coletivo tem o objetivo de conectar projetos que precisam de recursos a pessoas interessadas em colaborar com a iniciativa. O crowdfunding funciona como a velha e conhecida vaquinha e como a arrecadação é feita por meio de sites que agregam diferentes projetos, o modelo ganhou o apelido de vaquinha virtual.

O financiamento coletivo é muito usado para projetos culturais e sociais que dependem do investimento de outras pessoas para saírem do papel. É a primeira vez, no entanto, que um financiamento coletivo é ligado a um empreendimento imobiliário no país.

A plataforma responsável por hospedar o projeto é a Urbe.me. Ao acessar a página do projeto no site, o interessado pode ver detalhes do empreendimento, como o cronograma das construções, indicadores financeiros de viabilidade do projeto, seus riscos e imagens dos imóveis e das áreas comuns do condomínio.

Retornos

Enquanto nos modelos de financiamento coletivo convencionais os participantes emprestam seus recursos sem esperar grandes contrapartidas – um crowdfunding de um filme, por exemplo, pode oferecer algo simples, como um ingresso como retorno -, o crowdfundig do empreendimento VN Cardoso de Melo, da Vitacon, promete retornos financeiros sobre o valor investido.

A construtora garante que o investidor receberá seu dinheiro de volta, corrigido, no mínimo, pela remuneração da poupança. Mas se o empreendimento tiver um rendimento superior ao da caderneta, o investidor recebe exatamente o mesmo retorno da construtora.

Se tudo der errado e nenhuma unidade for vendida, o participante recebe o valor investido no prazo de vencimento do investimento, em janeiro de 2021, acrescido do rendimento registrado pela poupança no período.

No entanto, se as previsões da construtora se concretizarem, a expectativa é que o investidor receba rendimentos que variam entre 13,1% a 17,2% ao ano, mais a variação do Índice Nacional de Custo da Construção (INCC).

Alexandre Lafer, CEO da Vitacon, explica que os rendimentos serão pagos de acordo com o fluxo de vendas das unidades. “Se nós vendermos o empreendimento inteiro em um mês, o investidor também poderá receber em apenas um mês a rentabilidade prevista para todo o período do investimento, que seria de 44,2% a 59,3%, mais o INCC.”
O mais provável, no entanto, é que as unidades sejam vendidas aos poucos. Nesse caso, o investidor receberá seus rendimentos trimestralmente e os valores recebidos serão compatíveis com as vendas realizadas em cada período.

Ao investir mil reais no crowdfunding, portanto, se nenhuma unidade for vendida, após 60 meses a construtora devolve ao participante os mil reais, mais a variação da poupança. No entanto, se as previsões de rentabilidade se concretizarem, o investidor receberá o rendimento de 13,1%, a 17,2% ao ano, mais o INCC, diluído em pagamentos trimestrais.

Fonte: Exame

0
master
Posts Relacionados