Vale a pena financiar imóvel para investir_

Você já considerou financiar imóvel para investir? A compra em imóveis é apontada como uma das opções preferidas dos brasileiros para investimento, e com boas razões para isso. Essa escolha pode oferecer um grande leque de vantagens, como a segurança, proteção da inflação, possibilidade de renda e um ótimo potencial de valorização.

Além disso, existe uma diversidade de tipos de imóveis – o que facilita na escolha da melhor opção de investimento para cada um. No entanto, é importante entender como funciona o processo de investimento e analisar as particularidades de cada caso, principalmente nas situações que envolvem a necessidade de financiar imóvel para investir.

Ao longo deste artigo, veremos se vale a pena financiar imóvel para investir. Confira.

Como funciona o financiamento de um imóvel?

Na compra de um imóvel, o investidor pode utilizar um financiamento para facilitar o seu pagamento. O financiamento é uma transação em que o banco paga a quantia necessária para realizar a compra ao vendedor do imóvel, e o comprador passa a dever diretamente para ele. As especificidades de cada caso são várias, pois existem diversas formas de financiamento e cada banco oferece condições diferentes de taxas de juros, duração de contratos e quantia financiada.

Como avaliar se vale a pena financiar imóvel para investir?

Como em qualquer investimento, é importante estudar bem todos os aspectos envolvidos no financiamento do imóvel para ter segurança de seu retorno financeiro. Assim, para avaliar se realmente vale a pena financiar imóvel para investir, é preciso fazer uma análise completa de alguns fatores:

Valor do financiamento

Os valores que os bancos aceitam financiar variam, aumentando ou diminuindo de acordo com a renda do comprador. Desta forma, quanto maior a renda de quem está querendo financiar imóvel para investir, maior será seu crédito com o banco. No entanto, como regra geral, é melhor pagar valores de entrada maiores – que vão diretamente ao vendedor – e quitar com o banco o valor restante necessário, uma vez que nele passarão a contabilizar as taxas de juros fixadas em contrato.

Normalmente, há um valor de entrada mínimo, em torno de 10% do preço do imóvel. Porém, mesmo que você tenha crédito para pagar os 90% restantes do valor do imóvel com o financiamento, supondo que você tenha condições financeiras no momento para pagar por 40% do valor como entrada, geralmente será mais econômico deixar apenas esses 60% do total a serem pagos em financiamento – pois as taxas incidirão em cima de uma quantia menor de dinheiro.

Taxas de financiamento e crédito

São alguns fatores que definem as taxas de juros de financiamento e a quantidade de crédito possível junto ao banco. As taxas de juros dos financiamentos são variáveis: enquanto os bancos têm limites para as porcentagens de juros que podem cobrar, fatores como as taxas mínimas podem oscilar de acordo com as condições atuais do mercado.

Já o crédito que os bancos aprovam pode depender de renda individual ou familiar, além de variar de acordo com o tipo de financiamento a ser realizado. Por isso, é importante pesquisar e comparar as taxas e o crédito oferecido por vários bancos, de forma a escolher o mais vantajoso.

Potencial de retorno com aluguel

O resultado esperado e a projeção para o futuro da compra devem ser analisados com cautela para definir se o investimento será bem-sucedido. Fatores, como a qualidade do imóvel a ser adquirido, demanda por esse tipo de empreendimento e as expectativas de desenvolvimento e urbanização da área onde se encontra são boas maneiras de avaliar se ele será capaz de obter o retorno financeiro desejado, e estimar o tempo necessário para que o investimento compense o valor aplicado.

Possibilidade de fazer uma poupança forçada

A poupança forçada é uma técnica de reserva financeira em que o investidor realiza depósitos “obrigatórios” de uma quantidade específica de dinheiro por um tempo determinado, de forma a acumular recursos. Ela é especialmente recomendada a pessoas que têm dificuldade em manter a disciplina para realizar depósitos em uma poupança ou investimento – ainda mais por serem aplicações com retorno a longo prazo.

A poupança forçada pode ser realizada de várias formas, até mesmo solicitando que o próprio banco realize a transferência automática de um valor específico para um fundo de investimento. No entanto, financiar imóvel para investir também pode ser considerada uma forma de poupança forçada: afinal, fazer um financiamento requer o pagamento contínuo das parcelas, o que garante que o dinheiro seja aplicado em algo produtivo – neste caso, um imóvel que será capaz de render lucros no futuro.

Análise financeira

Antes de financiar imóvel para investir, é importante fazer uma análise financeira do investimento. Isso envolve a utilização de técnicas contábeis para identificar se o investimento vale a pena e vai trazer o retorno financeiro desejado.

Uma das formas mais simples de fazer a análise financeira do investimento é o método do payback, em que são realizados os cálculos dos custos necessários para sua realização e as estimativas de retorno financeiro com o objetivo de descobrir quanto tempo o investidor deverá esperar para que o valor do investimento inicial seja recuperado.

No caso da compra de um imóvel através de financiamento, devem ser calculados o custo do valor do imóvel, a soma das taxas de juros do banco, o preço das documentações e permissões necessárias e custos adicionais para deixar o imóvel verdadeiramente pronto para locação.

Assim, é possível estimar o tempo para que o retorno recebido pelo aluguel do imóvel consiga igualar o valor do custo do investimento. Quanto menor o tempo necessário, mais valerá a pena financiar imóvel para investir.

Aspectos comuns a investimentos imobiliários

Mesmo se tratando de uma forma diferente de realizar o pagamento, a avaliação sobre financiar imóvel para investir deve incluir uma análise sobre todos os aspectos que são observados em outros investimentos imobiliários: a segurança do investimento, o potencial de valorização do imóvel, a demanda pelo tipo de empreendimento em que você está pensando em investir na região em que ele está, entre outros fatores.

Analise se existem vários imóveis semelhantes no bairro, se há empreendimentos sendo construídos, se não existem imóveis similares vagos, e se o comércio da área está em expansão. Essas são boas formas de avaliar se a região está crescendo – o que significa que as chances de conseguir um bom aluguel e a valorização progressiva do imóvel são boas.

Ficou interessado no assunto e quer saber mais sobre como obter bons resultados com os investimentos imobiliários? Confira o nosso artigo “Quero começar a investir em imóveis: e agora?“, e até a próxima!

0
master
master
Posts Relacionados