ON Blog

Seja bem-vindo
ao Blog da Vitacon

Fale Conosco
Entre em contato
  • Relacionamento com Cliente
  • Telefone
    11 3039 7300
  • Vendas
  • Whatsapp
    11 97534 6551
  • Chat
    Online Agora
  • Telefone
    11 3588 4101
  • Outro

Públicos de todas as faixas etárias estão mais abertos a morar em coliving em São Paulo

Imprensa • 25/10/2021 • min. Públicos de todas as faixas etárias estão mais abertos a morar em coliving em São Paulo

Publicado por Gazeta da Semana*

Adesão a moradias com espaços compartilhados em faixa etárias mais avançadas deve massificar ainda mais os espaços compartilhados em novos empreendimentos segundo pesquisa da Vitacon

À medida que se amadurece o conceito de urbanismo, em sua multiplicidade de demandas e possibilidades, mais sentido a economia compartilhada faz enquanto estratégia. Eixo central de modelos de negócio como carros por aplicativo, aluguel de bicicletas e outras soluções de mobilidade, a tendência de compartilhar um imóvel ou áreas comuns cresce de maneira sustentável entre os brasileiros.  

Pesquisa realizada com suporte da Vitacon pelo Instituto Ipespe, com 800 pessoas com mais de 16 anos na cidade de São Paulo, observa que esse movimento é crescente em todas as faixas etárias. Apesar de ser dominante entre os jovens adultos (25 - 44 anos) de classe média (2 a 5 salários mínimos), 36% dos mais idosos ouvidos estão dispostos a morar em um imóvel pequeno com áreas de convívio confortáveis e planejadas. Comportamento antecipado e que faz parte do DNA da Vitacon desde sua fundação, o coliving deve ser uma tendência predominante de todo mercado, e não apenas de lançamentos de nicho.  

A ideia de moradia compartilhada já está bastante disseminada em residenciais mais novos e a lavanderia é um bom exemplo disso. Outro ponto curioso da pesquisa diz respeito ao fato de que 55% dos paulistanos dividiriam espaços em imóveis (salas de estar, cafés, escritórios, lavanderias e lazer). 

Demograficamente, Zona Sul e Zona Leste da cidade, aquelas com maiores vetores populacionais, são as mais propensas à economia compartilhada. O percentual é de 34% em ambas.  

“Além da questão financeira e da economia que espaços cooliving podem trazer aos moradores, a socialização é um plus que a prática de frequentar esses espaços traz, visto que nos últimos 2 anos tivemos uma perda grande com relação a estar com outras pessoa e a tendência é as pessoas desejarem conviver mais umas com as outras depois do longo período de distanciamento social”, pontua Ariel Frankel, CEO da Vitacon.  

O mercado de coliving vem readquirindo fôlego com a retomada da vida pré-pandemia. De acordo com pesquisa sobre Impacto da COVID-19 no mercado global de espaços de Coworking, 2020-2030, realizada pela Research and market, o setor deve se recuperar e chegar a US $ 11,52 bilhões em 2023 com CAGR de 11,8%.

O coliving consiste em espaços e moradias que buscam trazer praticidade e acesso a pessoas que prezam pela comunidade, economia e sustentabilidade.  Com o avanço do conceito no Brasil, podemos prever que há potencial de impactar o mercado imobiliário e transformar a cultura habitacional, ao menos, nas grandes metrópoles.  

Criada em 2009, a empresa elegeu como principal objetivo reinventar a vida das pessoas na cidade, contribuindo para uma rotina mais inteligente e uma cidade mais ativa e acessível. O foco são prédios com tecnologia e serviços alinhados à economia compartilhada e à mobilidade urbana. 

Exemplos de Espaços que podem ser compartilhados em empreendimentos coliving 

O Coworking talvez seja um dos exemplos mais conhecidos de ambientes de compartilhamento. Esses espaços são compartilhados para prática de trabalho e estudo de pessoas que precisam utilizar recursos de escritório. pode reunir pessoas que não trabalham na mesma empresa, inclusive de diferentes áreas, proporcionando economia para quem frequenta e até mesmo ampliação de networking.  

Mas como nem só de trabalho vive o homem e, hoje em dia, mais que antes da pandemia, a maioria das pessoas está pensando em ter uma vida mais saudável e voltar a ter contato social frequente por conta de tanto tempo de reclusão, outros ambientes de coliving podem ser bastante atrativos e funcionais, como academias em condomínios, bicicletários, sala de jogos, lavanderia, churrasqueira, cozinha/espaço gourmet, horta, home theater/cine Bar e espaços relaxantes.  

Foto: Divulgação/Vitacon

Relacionados