Por incrível que pareça, são as pessoas mais velhas, e não os jovens, que não querem mais ter carro

Uma pesquisa mostra que 73,4% dos brasileiros com mais de 45 anos acham um privilégio não precisar de carro.

Uma pesquisa da Idea Big Data capturou entre os brasileiros a tendência, sentida no mundo todo depois da popularização dos aplicativos de transporte tipo Uber, de abrir mão da propriedade de um carro. A surpresa foi que os brasileiros menos interessados em carros não foram os mais jovens, e sim os acima de 45 anos.

Não que os mais jovens (de 18 a 44 anos) pareçam fazer muita questão de ter um carro. Por exemplo: 62,8% dos entrevistados nessa faixa etária concordaram com a afirmação de que “o verdadeiro privilégio é ter tempo e não precisar de carro”.

 

Só que, entre os mais velhos (acima de 45 anos), o percentual foi ainda maior: 73,4% dos entrevistados concordaram com a frase.

A pesquisa foi feita entre 20 e 22 de fevereiro em 11 capitais (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Fortaleza, Recife, Salvador, Brasília, Manaus e Belém). Foram entrevistadas 1.167 pessoas com mais de 18 anos e que estudam e/ou trabalham fora todos os dias. O levantamento foi encomendado pela Vitacon (uma firma de construção civil).

Mais de metade (51,1%) dos mais velhos concordaram com a frase “meu sonho é não precisar usar o carro no dia a dia”, contra 44,4% dos mais novos.

A frase “nunca tive carro nem pretendo ter” obteve a concordância de 23% de quem tem mais de 45 anos, e de apenas 9,8% de quem tem menos.

A maioria dos mais novos (54,5%) discorda da frase “escolhi onde morar para não precisar de carro”, enquanto somente 37,4% dos mais velhos não concordam com a afirmação. O número dos que discordam de “ter carro atrapalha mais do que facilita a vida” é maior entre os mais jovens (61,7%) do que entre os mais velhos (51%).

 

Em SP, maior interesse em viver sem carro

A pesquisa também apontou que quem mora em São Paulo, cidade com a maior frota de veículos do país — 6,2 milhões de automóveis, segundo dados do Detran-SP de dezembro de 2018 —, está mais disposto a viver sem carro do que entrevistados das outras capitais.

A frase “o carro traz liberdade e autonomia para quem se desloca pela cidade” obteve a concordância de 73,2% dos moradores de outras cidades, e de 57,2% dos entrevistados de São Paulo.

A pergunta “você utiliza seu carro todos os dias?” foi respondida afirmativamente por 72,8% dos entrevistados de outras cidades. Já em São Paulo só 62,2% responderam que sim — a explicação, segundo a conclusão dos pesquisadores, é que na capital paulista as pessoas que têm carro encontram mais formas alternativas para se locomover.

“São Paulo é um ponto fora da curva por dar mais alternativas, principalmente às pessoas das classes A e B que vivem nos bairros centrais”, disse a socióloga e pesquisadora Gabriela Mathias.

Ainda de acordo com ela, “São Paulo dispõe de uma rede de transporte sobre trilhos menor do que a das principais capitais do mundo, mas que está anos-luz à frente das outras capitais brasileiras”.

Em São Paulo, 60,4% dos entrevistados disseram que teriam carro mesmo se morassem perto do trabalho. Esse índice sobe para 70,3% nas outras cidades pesquisadas.

0
master
Posts Relacionados