O que considerar ao precificar imóveis de investimento_

Precificar imóveis corretamente é essencial para colher bons frutos do seu investimento, não é? Depois de identificar uma boa oportunidade de negócio e fazer a compra de um imóvel, é muito importante que você saiba exatamente como definir o seu preço de venda para obter uma boa rentabilidade ao final da operação.

Quanto maior for o preço de venda, maior será a lucratividade do investimento. Porém, é importante destacar que o preço também deve ser atrativo para o consumidor – caso contrário, você dificilmente conseguirá atrair compradores interessados e poderá perder o timing para vender o seu imóvel.

Ao contrário do que muitos investidores pensam, não são apenas os aspectos relacionados à infraestrutura que devem ser considerados no momento de precificar imóveis. Outros fatores, como o bairro da localização ou o preço médio dos imóveis da região também são ótimas fontes de informação.

Neste artigo, saiba o que você deve considerar ao precificar imóveis e colher frutos do seu investimento. Acompanhe.

Quais fatores considerar ao precificar imóveis?

Não existe uma fórmula pronta para precificar imóveis corretamente. São muitos os fatores que devem ser considerados para definir um valor justo, que possa satisfazer ambas as partes da relação – gerando uma boa rentabilidade para o seu investimento. Veremos, a seguir os principais fatores que devem fazer parte da sua análise:

Preço médio dos imóveis da região

Se você tentar vender um imóvel por R$500 mil em uma região em que os imóveis semelhantes ao seu são vendidos por R$400 mil, é muito difícil que encontre um comprador interessado, não é? Para compreender isso, basta se colocar por um instante no lugar de uma pessoa interessada em fazer a compra.

Por essa razão, o preço de venda de outros imóveis interfere tanto no momento de definir o melhor preço de venda. Assim como acontece com qualquer outro produto – seja um enlatado no supermercado, um carro ou um jatinho particular -, o valor médio do mercado é um dos primeiros fatores analisados pelo comprador.

Localização do imóvel

Dois imóveis que têm exatamente a mesma infraestrutura, mas estão localizados em bairros diferentes, podem ter preços muito diferentes. Se você tem um imóvel em um bairro nobre, automaticamente o valor dele se torna muito superior a outro semelhante que está localizado em um bairro longe do centro e com problemas de segurança.

É por esse motivo que precificar imóveis não está ligado somente ao valor que foi investido na sua construção. O mercado imobiliário tem uma ligação direta com a percepção de valor das pessoas – e é justamente essa variação na percepção de valor que gera ótimas oportunidades de investimento.

Metragem da construção

A lógica é bem simples: imóveis mais amplos têm um preço superior. Se ao construir um imóvel é necessário gastar mais por conta de uma metragem maior, no momento de precificá-lo também é necessário considerar esse fator.

Entretanto, esse é um ponto que não pode ser analisado isoladamente. Afinal, como acabamos de abordar, dois imóveis com a mesma metragem podem ter valores diferentes de acordo com outros fatores.

Infraestrutura e lazer

Você deseja vender uma casa que tem piscina térmica e sauna? Ou, então, um apartamento que é equipado com banheira de hidromassagem e ar condicionado em todos os cômodos? Esses são alguns dos fatores que contribuem para a valorização de um imóvel perante o público.

Traçando, mais uma vez, um comparativo entre dois imóveis semelhantes, é natural que uma casa que tenha uma infraestrutura de qualidade superior e recursos mais completos seja avaliada por um valor superior – portanto, é necessário colocar tudo isso no cálculo para precificar imóveis.

Serviços do condomínio

Falando especificamente sobre apartamento, todos os serviços inclusos no condomínio também aumentam o valor que pode ser cobrado na sua venda: academia, piscina, quadras esportivas, lavanderia, coworking, playground, salão de festas, quiosque, entre outros. Quanto mais atrativo um imóvel for para o comprador, maior pode ser o seu preço.

Conservação do imóvel

Imóveis novos são mais valorizados pelo mercado do que os antigos – que necessitam de reparos com maior frequência, não têm tantos recursos e criam uma percepção menos positiva nos compradores. É por esse motivo que os imóveis mais recentes costumam gerar oportunidades melhores para os investidores.

Margem de negociação e lucro

Você, dificilmente, vai encontrará um potencial comprador interessado no seu imóvel que não tente negociar o valor anunciado. Estar disposto a negociar e diminuir um pouco o preço de venda é quase uma regra no mercado imobiliário – portanto, essa margem deve ser considerada no momento de precificar imóveis.

Além disso, você também precisa estar atento à margem de lucro que busca para o seu investimento. Se você comprou um imóvel por R$400 mil e teve outros custos com documentação, reforma e manutenção do local, precisa cobrar, no mínimo, um valor que permita a recuperação de todo o investimento, não é?

Fatores externos da economia

Além de todas essas questões práticas, também é preciso considerar fatores externos ao precificar imóveis. Afinal, de nada adianta avaliar um imóvel de acordo com o seu real valor quando o mercado passa por um momento de crise e existem poucos interessados na compra de imóveis.

Da mesma forma, momentos de otimismo permitem que você consiga fechar vendas por valores superiores. Quando existe uma grande demanda e pouca oferta de imóveis, abre-se uma oportunidade para elevar o preço de casas e apartamento.

Entre os fatores externos da economia que interferem sobre o valor de venda de um imóvel, estão a taxa de juros, facilidade na obtenção de financiamento, confiança do consumidor, taxa de desemprego, inflação, entre outros.

Você já sabia quais fatores deve considerar ao precificar imóveis? Ficou com alguma dúvida sobre o assunto? Deixe o seu comentário e até a próxima! 

0
master
master
Posts Relacionados