Inflação x Mercado Imobiliário

A inflação é um assunto que causa arrepios na população brasileira, mas a verdade é que poucas pessoas conseguem compreender como as variações afetam a sua vida financeira. Mais do que isso, um investidor precisa entender também como ela pode afetar a rentabilidade dos seus investimentos.

Será que uma alta inflacionária é boa ou ruim para os seus investimentos imobiliários? Qual é o melhor momento para comprar um apartamento? Ter domínio sobre essas questões permite que um investidor saiba os momentos ideais de comprar ou vender – maximizando os lucros alcançados com os seus investimentos.

Se você quer entender melhor o impacto da inflação sobre o mercado imobiliário, siga conosco neste artigo. Vamos lá?

O que é inflação?

Antes de entrarmos no mercado imobiliário, vamos deixar bem claro o que é a inflação e qual é o seu real impacto no bolso dos brasileiros. Para iniciarmos, faça um exercício simples: pense no valor que era possível pagar por um carro 0km no início dos anos 90. Certamente, esse valor não seria suficiente nem para comprar um carro seminovo hoje em dia, não é?

Esse é apenas um claro exemplo do efeito inflacionário na economia: trata-se de uma variação média no preço dos produtos ao longo do tempo – afetando diretamente o poder de compra da população. Com um alto índice de inflação, os preços sobem e você não consegue mais comprar uma mesma quantidade daquele produto com o mesmo dinheiro. Da mesma forma, quando ela está estável, os preços variam menos – mantendo o poder de compra da população.

As principais causas da inflação são:

  • Inflação monetária em decorrência de uma grande emissão de dinheiro pelo governo;
  • Demanda por produtos aumentada, de forma descontrolada, se tornando maior do que a capacidade produtiva do país;
  • Aumento dos custos de produção (matéria-prima, mão de obra ou equipamentos) dos produtos.

O impacto para a compra de imóveis

Fazer uma relação entre a inflação e o mercado imobiliário não é muito difícil. Assim como o preço de diversos produtos é afetado pelas altas nos preços, os imóveis também sofrem variações ao longo dos anos. Entretanto, os impactos para a compra de imóveis podem ir muito além disso.

Perda do poder de compra da população

A alta nesse índice causa a perda do poder de compra da população. Mesmo com o aumento da renda, a quantidade de produtos que pode ser comprada ao longo do mês é reduzida. Como consequência disso, grande parte do dinheiro das famílias brasileiras é destinado às despesas básicas – comprometendo o investimento em imóveis.

Com o clima de insegurança no ar, são poucas as pessoas que optam por fazer o financiamento da casa própria em períodos de alta inflacionária. O mais comum é que esse investimento tenha que esperar alguns meses para sair do papel.

Redução das intenções de compra

Além da redução das compras de imóveis por conta da inflação, também é menor o número de brasileiros que consegue manter uma reserva financeira planejando comprar um imóvel. Ou seja, os impactos da inflação também podem ser notados em médio prazo por conta da falta de preparo para investimentos de alto valor.

Variação no valor dos imóveis

O investimento em imóveis é considerado seguro em tempos de inflação pela baixa variação nos seus valores – permitindo que o investidor não perca dinheiro por conta da desvalorização do bem. Entretanto, é possível notar uma variação nos valores de compra e venda desses bens de acordo com as variações da inflação.

Confiança da população e facilidade de acesso ao crédito

É impossível fazer uma análise da economia considerando apenas um ou dois fatores. Vários fatores caminham juntos para causar impacto no mercado imobiliário – incluindo a inflação.

Por essa razão, altas nesse índice também causam insegurança no mercado, afetam a confiança da população e diminuem as boas oportunidades de acesso ao crédito. Por outro lado, o efeito oposto também acontece: a inflação estável cria um clima otimista no mercado e estimula o financiamento de imóveis.

A influência da inflação nos seus investimentos

Na prática, como será que a inflação afeta os seus investimentos? Para que isso fique claro, vamos compreender como você pode aproveitar os efeitos dela e maximizar os seus rendimentos:

Momentos de inflação alta

Quando a inflação do mercado está em alta, a tendência é que grande parte da população fique retraída e não invista em imóveis, certo? Nesses momentos, você pode buscar por boas oportunidades de compra – afinal, os proprietários e imobiliárias estarão mais inclinados a negociar um bom valor pelos seus imóveis.

Momentos de inflação baixa

Quando ela está baixa, a população fica mais confiante e procura por financiamentos para comprar imóveis. Esse aumento na demanda por casas e apartamentos é uma boa notícia para quem deseja vender os seus imóveis – afinal, o mercado imobiliário é afetado diretamente pela lei de oferta e demanda.

Como fugir da inflação com o investimento em imóveis?

Além das oportunidades geradas pelas variações da inflação, para que você consiga negociar no mercado e maximizar os seus resultados, o mercado imobiliário protagoniza outra boa relação com a inflação: trata-se de um investimento muito seguro para fugir dos efeitos de alta inflacionária.

Essa forma de investimento minimiza a desvalorização que poderia ser causada pela variação na inflação por conta de três fatores principais:

  1. Aluguel de imóveis – os valores cobrados pelo aluguel de imóveis costuma, ser atualizados conforme o IGP-M, permitindo que os recebimentos provenientes desse tipo de negócio tenham uma rentabilidade ligada à inflação registrada;
  2. Fundos imobiliários – a rentabilidade dos fundos imobiliários é muito semelhante ao valor ganho com os aluguéis – com rendimentos corrigidos com base no IGP-M ou IPCA;
  3. Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) – o INCC é o índice utilizado como base para o reajuste do valor de imóveis em construção, e incide sobre o valor total que resta a quitar na compra parcelada de um imóvel. Na prática, isso significa que a rentabilidade de um investimento sempre será acrescida de um fator de correção monetária baseado no INCC.

E então, já conhecia a relação entre a inflação e o mercado imobiliário? Se você planeja começar a investir em imóveis, confira a nossa planilha de Análise de Investimentos em Imóveis na Planta e até a próxima!

0
master
master
Posts Relacionados