Como está o preço dos imóveis em 2018_

O preço dos imóveis sofre uma grande variação com o passar dos anos. É justamente essa alteração nos valores pagos pela compra e venda de casas e apartamentos que torna os investimentos no mercado imobiliário rentáveis.

Entretanto, isso também significa que um investidor deve dominar as variações nos valores dos imóveis para acertar nos momentos de comprar e vender. Imagine que você compre um apartamento e meses depois note que outra unidade, no mesmo condomínio, está ainda mais barata, ou, então, feche um contrato de venda e descubra que os valores da região aumentaram nos 6 meses seguintes.

Essas são algumas das situações relacionadas ao preço dos imóveis que causam muita frustração nas pessoas que procuram por uma boa rentabilidade com os seus investimentos. Quanto maior for o domínio sobre as variações da economia, melhores serão os resultados alcançados.

Neste artigo, veremos como está o preço dos imóveis em 2018 e como você pode tirar proveito das variações dos valores. Confira.

O preço dos imóveis em 2018

Você tem acompanhado o preço dos imóveis em 2018? Segundo o índice FipeZap, que acompanha a evolução dos preços dos imóveis em 20 cidades brasileiras, o ano de 2017 foi marcado por uma queda real – sem considerar o impacto da inflação nos preços.

Após atravessar vários anos de instabilidade econômica, o Brasil volta a apresentar um cenário otimista para 2018. Isso significa que o mercado imobiliário também volta a ser aquecido – freando a queda no preço dos imóveis ao longo deste ano.

De acordo com projeções da Associação Brasileira de Incorporadoras (Abrainc) e da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), o pior momento do mercado imobiliário brasileiro já ficou no passado, e as vendas de imóveis no devem crescer 15% em 2018 – porém, em curto prazo, o preço dos imóveis deve permanecer estável.

Fatores influenciam no preço dos imóveis

Apesar da previsão de crescimento do número de vendas e da recuperação da economia brasileira, o preço dos imóveis não tende a subir muito em 2018. Você sabe por que isso acontece? Quais são os fatores que realmente influenciam no preço dos imóveis?

Não é apenas um ou dois fatores que impactam nesse preço. A lógica básica por trás da valorização dos bens é a mesma que acompanha qualquer outro produto: relação entre oferta e demanda. Ou seja, quanto maior é o número de compradores interessados em adquirir imóveis, maior será o valor cobrado pelos vendedores.

Isso significa que, mesmo com o crescimento da procura pelos imóveis, ainda não existe uma demanda grande o suficiente para que os preços realmente disparem. Os fatores que contribuem para esse cenário são:

Geração de empregos

Mesmo com a recuperação econômica do Brasil, a taxa desemprego segue alta. Isso significa que uma boa parte dos brasileiros está desempregada – o que dificulta a criação de uma reserva financeira para investir em uma casa própria e, também, o acesso a financiamentos.

Além disso, o grande número de pessoas desempregadas cria um clima de insegurança no ar. Ao ver o seu primo e seu vizinho sendo demitidos, um trabalhador fica receoso de que seja o próximo a perder o emprego, e passa a evitar grandes investimentos na compra de bens para evitar complicações futuras.

Baixa confiança da população

Como vimos, a confiança da população ainda está baixa – não só pelo alto índice de desemprego, mas por todas as dificuldades econômicas e políticas do país. Por conta disso, ainda são poucas as famílias dispostas a criar o compromisso de pagar pela casa própria por meio de um financiamento que se estende por anos.

Juros e dificuldade no financiamento

Outro fator que contribui para que a demanda pelos imóveis não tenha um grande crescimento é a alta taxa de juros do mercado. Mesmo que já tenha acontecido uma pequena redução, e a tendência seja uma queda, essas taxas ainda afetam o bolso da população.

As taxas de juros afetam diretamente o valor dos financiamentos imobiliários, aumentando o montante a ser pago pelos compradores. É por essa razão que muitas famílias optam por continuar esperando antes de fechar a compra da casa própria.

E como estão os valores dos aluguéis?

Já vimos como está o preço dos imóveis em 2018, mas será que a situação é otimista para os investidores que pretendem apenas alugar os seus imóveis? Segundo o índice de locação Fipezap, o valor médio dos aluguéis no Brasil está em baixa. Isso acontece porque o IGP-M (que é o índice que corrige o preço dos aluguéis) está variando abaixo do IPCA (que é o índice de inflação medida pelo IBGE).

Esse cenário leva os investidores que têm imóveis para locação a buscar a venda desses bens, o que aumenta ainda mais a oferta no mercado e contribui para os baixos preços. Entretanto, com a recuperação da economia, a tendência é que os preços dos aluguéis voltem a subir – diminuindo a oferta de imóveis e gerando o aquecimento do setor imobiliário.

Como maximizar os seus investimentos?

Vimos como a variação no preço dos imóveis está ligada a diversos fatores diferentes, certo? Um investidor que deseja potencializar os seus investimentos precisa ficar de olho não só no momento atual do mercado, mas nas tendências para o futuro.

Se os preços dos imóveis ainda estão baixos, mas a economia dá sinais de recuperação, isso significa que os preços médios podem subir no ano seguinte. Portanto, esse seria um bom momento para encontrar imóveis por preços atrativos e preparar a sua venda (ou locação) para quando o mercado imobiliário estiver aquecido.

Você já conhecia todos os fatores que influenciam no preço dos imóveis? Está em busca de maximizar os rendimentos dos seus investimentos? Confira a planilha de Análise de Investimentos em Imóveis na Planta e até a próxima. 

0
master
master
Posts Relacionados