Ambientes integrados- o segredo das plantas compactas

Os ambientes integrados são uma tendência para apartamentos pequenos. Cada vez mais comuns em grandes cidades, as plantas compactas surgem como uma solução para quem quer morar bem.

Esse tipo de imóvel tem atraído um novo perfil de morador: jovens que estão saindo mais cedo da casa do pais, casais sem filhos ou com apenas uma criança, casais em relacionamentos estáveis, mas que preferem que cada um tenha a sua própria casa, etc.

Investir em ambientes integrados é a solução para quem busca conforto com espaços funcionais, aliados a uma bela decoração. Esse modelo de projeto também pode ser aplicado para imóveis maiores, como casas e apartamentos com mais de 50m² ou 100², por exemplo.

Quer saber mais sobre essa tendência? Acompanhe.

Ambientes integrados: uma tendência de arquitetura

Integrar um ambiente a outro foi a solução que a arquitetura encontrou para resolver problemas, principalmente, de falta de espaço em imóveis com a planta pequena. A tendência foi crescendo e acabou caindo no gosto dos proprietários de casas e apartamentos, que viram nos ambientes integrados uma opção de projeto que oferece conforto e comodidade.

A integração da cozinha com a sala, por exemplo, costuma ser recomendada para moradores que gostam de cozinhar e receber amigos em casa. Nesse modelo de projeto, quem está preparando a refeição não fica isolado dos demais, ou seja, e a interação entre os anfitriões e convidados é garantida quando o apartamento conta com ambientes integrados.

Além do clássico sala e cozinha, é possível integrar outros tipos de ambiente:

  • Quarto e closet podem ser integrados para facilitar a rotina de se arrumar diariamente;
  • A sala integrada à varanda é uma solução para deixar o ambiente maior, mais iluminado e arejado;
  • Integrar a cozinha à lavanderia, por exemplo, deixa o ambiente mais espaçoso e confortável para o uso frequente.

Quais as principais vantagens de um ambiente integrado?

Quando os ambientes são integrados, o arquiteto busca dar uma solução para o que pode se tornar um problema nas plantas compactas: a falta de espaço. Principalmente para as pessoas menos organizadas, viver em um ambiente pequeno pode ser uma eterna luta contra a bagunça

Esse não é o único valor percebido nesse tipo de projeto, já que os ambientes integrados oferecem mais benefícios do que imaginamos, como:

  • Maior amplitude para o espaço
  • As funções dos ambientes são agrupadas, os tornando grandes áreas sociais
  • Favorece a convivência entre todos que estão nos ambientes;
  • Permite a integração entre um número maior de pessoas, pois acomoda mais gente
  • Maior economia para a iluminação do ambiente
  • A ventilação circula livre e naturalmente
  • Proporciona economia na hora de mobiliar, pois alguns móveis tendem a ser substituídos, como a mesa de jantar, que pode dar espaço a um balcão.

5 cuidados ao integrar os ambientes

Como vimos, os ambientes integrados oferecem comodidade e tendem a solucionar alguns problemas das plantas compactas. Por outro lado, é preciso tomar alguns cuidados antes de fazer intervenções estruturais no imóvel. São eles:

1) Atenção aos regulamentos do condomínio

Antes de sair quebrando paredes e mudando as disposições dos ambientes, é necessário verificar o regulamento do condomínio. Algumas obras podem esbarrar até em legislações da prefeitura, além de acabar causando despesas e desnecessárias.

A integração entre sala e varanda, por exemplo, é um caso que precisa ser visto com cautela, isso porque, segundo o Código Civil, é proibido “alterar a forma e a cor da fachada, das partes e esquadrias externas”. Dentro dessa proibição, há pontos que podem ser contestados ou não, depende do quanto o proprietário está disposto a brigar pelas modificações em sua casa.

2) Avalie as mudanças em sua rotina

Alguns imóveis, principalmente os seminovos, costumam passar por reformas na sua planta original e, na hora de fazer mudanças, é preciso avaliar como elas podem afetar a rotina de quem vive naquele espaço.

A integração de ambientes, como com a sala e a cozinha, por exemplo, proporciona maior interação, porém, como os ambientes ficarão expostos, é importante que estejam sempre organizados e que a cozinha conte com móveis e eletrodomésticos bonitos e de qualidade, para complementar a decoração.

3) Atenção ao interferir nas estruturas

As paredes são pontos importantes para avaliar antes de serem derrubadas. Algumas compõem a estrutura do imóvel, e podem ser compostas por pilares ou vigas. Ao tirá-las, além de oferecer um risco para a segurança dos moradores, deixar vigas ou pilastras no meio do ambiente pode “denunciar” que uma intervenção foi feita, perdendo a essência da integração.

4) Garantias do imóvel

Outro ponto importantíssimo: verifique se as intervenções no imóvel não resultarão em perda de garantias, principalmente apartamentos novos e que foram comprados na planta.

Isso porque a construtora é obrigada a dar um prazo de garantia, caso algum problema seja identificado, porém, se a planta for modificada, a empresa pode se livrar de cumprir com a norma.

Fique de olho ao contrato de compra e venda, e cuide, também, para não perder o isolamento acústico entre os ambientes.

5) Respeite as individualidades de cada morador

Quando se mora sozinhos, investir nos ambientes integrados e estruturá-los conforme o gosto pessoal não apresenta nenhum problema – desde que esteja tudo certo com os pontos apontados anteriormente. Já no caso de famílias que dividem os mesmos espaços, é preciso ter um planejamento e avaliar as individualidades de cada um, a fim de encontrar um meio termo que agrade a todos os membros.

Em todos os casos, até para quem vive sozinho, antes de investir nesse modelo de projeto, consulte um arquiteto, ele é a melhor pessoa para te orientar sobre os espaços e se a planta do apartamento comporta uma integração harmônica e moderna.

E você, gosta dessa ideia? Tem alguma dúvida sobre como integrar os ambientes? Conte pra gente pelos comentários e até a próxima. 

0
master
master
Posts Relacionados