6 tendências de imóveis para alugar em São Paulo

Procurando um imóvel para alugar em São Paulo? Não feche negócio antes de conhecer as tendências que a cidade tem para oferecer.

São Paulo é uma mega capital, e dentro de todo seu território há diversas opções de moradia. Só para se ter uma ideia, o Jardim Paulista é o bairro com o maior número de prédios residenciais, são 885 ao todo.

A Vila Mariana, segundo bairro mais verticalizado da cidade, não fica tão atrás: são quase 750 condomínios. A Bela Vista, bairro da região central, soma 650 edifícios, e muitos desses prédios têm de 40 a 60 anos, e as plantas de apartamento são aquelas com os cômodos e janelas bem grandes, um padrão que não vemos mais em empreendimentos novos.

Muito pelo contrário, como as pessoas passam cada vez menos tempo dentro de casa, até esses imóveis antigos estão passando por reformas para se adequar às novas tendências. Mas você sabe quais são elas?

Neste post, a gente elencou 6 tendências de imóveis para alugar em São Paulo. Confira!

Tendências de imóveis para alugar em São Paulo

1. Plantas cada vez mais compactas

Essa tendência é um reflexo das mudanças que vêm acontecendo na estrutura familiar e nos hábitos da população. O número de pessoas solteiras, casais sem filhos e da terceira idade aumentou. Além disso, a população está mais preocupada com a mobilidade urbana.

De acordo com a pesquisa, 61% das pessoas estão interessadas em adquirir imóveis menores para moradia, 32% como um investimento, 4% para ficar mais próximo do trabalho, 2% para morar próximo aos centros urbanos e 1% para outra pessoa morar, como filho, pais etc.

2. Imóveis para pessoas solteiras

Nos últimos 10 anos, o número de pessoas morando sozinhas quase que dobrou. No Brasil, segundo o IBGE, em 2005, 10,4% da população morava sozinha, e em 2015, o registro foi de 14,6%.

O aumento foi maior entre as pessoas que têm mais de 50 anos. O IBGE revelou que, em 2015, 63,7% das pessoas nessa faixa moravam sozinhas, enquanto que, há 10 anos, o número era de 57,3%. Os especialistas afirmam que essa tendência não é exclusividade do brasileiro, já que, no mundo inteiro, o número de imóveis habitados por uma única pessoa vem crescendo cada dia mais.

Esse movimento, porém, não vai impactar apenas nos imóveis, mas também em todos os hábitos de consumo da população, pois as empresas precisam adequar seus produtos para atender a esse novo perfil de público.

3. Imóveis alugados

A procura por imóveis para alugar em São Paulo também cresceu. De janeiro a outubro de 2017, houve um aumento de 19% nos novos contratos de locação, comparado com o ano anterior, e o tempo em que os imóveis ficaram disponíveis entre um contrato e outro caiu de 71 para 63 dias.

4. Decoração minimalista

“Menos é mais”, como diria o arquiteto alemão Ludwig Mies van der Rohe, e pessoas buscando espaços menores para viver, morando sozinhas, diminuindo o consumo, além de outras atitudes que revelam que a quantidade não é mais importante ilustram bem essa realidade.

A escritora e autora do best seller “A Mágica da Arrumação”, Marie Kondo, ensina que o segredo da organização não está em jogar tudo fora, mas, sim, no sentimento que a pessoa tem por cada objeto. Em seu livro, Marie orienta que “para decidir o que manter e o que jogar fora, você deve segurar os itens um a um e perguntar a si mesmo: isso me traz alegria?”. Se a resposta for sim, você deve ficar com ele.

Na decoração também é assim. A tendência do minimalismo, que começou em 2017, permanece neste ano. Segundo a designer de interiores, Sueli Garcia, do escritório de consultoria P.O. Box, os ambientes pedem cores neutras, como o off-white, e que remetam à natureza, como o marrom. Já os móveis modulares permitem a customização constante e com maior facilidade

5. Automação residencial

As pessoas estão cada vez mais preocupadas com a sustentabilidade. Quem procura um imóvel para alugar em São Paulo quer aliar responsabilidade ambiental, conforto e praticidade, por isso as construtoras estão investindo unidades automatizadas, com design inteligente, e respeito ao meio ambiente.

Nós já falamos aqui no blog sobre as casas inteligentes, um conceito de moradia onde as tarefas internas são feitas de forma automatizada, independente de onde o morador esteja. Com algumas ferramentas, a casa inteligente ajuda a reduzir o consumo de energia elétrica e água.

6. Realidade virtual

Essa tecnologia é um grande aliado do mercado imobiliário, e quem está procurando um apartamento para alugar em São Paulo pode contar com essa facilidade.

Funciona mais ou menos assim: um programa cria uma visualização de como seria o imóvel por dentro, com todos os seus cômodos, espaços e até com a decoração. A partir daí, a imobiliária utiliza esse sistema e um óculos de realidade virtual para mostrar o imóvel ao interessado.

A pessoa que quer alugar em São Paulo pode pedir ajustes na decoração e na composição dos móveis para avaliar se o espaço é interessante para ela. Dessa forma, além de ganhar tempo, pois não será necessário fazer tantas visitas ao imóvel, o atendimento fica mais rápido, pois tudo que o cliente quer saber será mostrado no sistema.

Já estão sendo desenvolvidos até aplicativos que permitem a apresentação dos imóveis virtualmente, direto no smartphone. O cliente baixa o app e a empresa disponibiliza um óculos de realidade virtual para que ele conheça quantos imóveis quiser sem sair de casa. Tecnologia a serviço da praticidade, não é mesmo?

E você, está querendo em alugar em São Paulo? Conte pra gente o que falta para tomar essa decisão e até a próxima. 

0
master
master
Posts Relacionados