3-armadilhas-no-investimento-em-imoveis-para-ficar-alerta

O investimento em imóveis é uma modalidade de aplicação bastante procurada, pois oferece vantagens aos seus investidores. Embora seja conhecida principalmente pela segurança que oferece ao dinheiro aplicado, também conta com grande potencial de valorização, rentabilidade e diversidade – o que oferece uma gama de opções que agrada a todos os tipos de investidores.

No entanto, assim como em qualquer outro tipo de investimento, existem algumas situações que podem enganar os investidores e acabar com o sucesso do seu negócio. Por isso, é importante estar atento às armadilhas do investimento em imóveis para não cair em cilada.

A seguir, confira uma lista com as 3 armadilhas no investimento em imóveis e como você pode se preparar para evitar cada um desses problemas.

Armadilhas no investimento em imóveis

Primeira armadilha: o imóvel comprado na planta que não valoriza

Comprar imóveis na planta pode ser uma ótima oportunidade para muita gente. Todos sabem que, para um investimento ser bem-sucedido, é importante conseguir um bom preço de compra – e é isto que esta modalidade de investimento oferece. Ao comprar um imóvel na planta, as construtoras concedem grandes descontos aos investidores, porque necessitam deste dinheiro para investir na construção da edificação. Assim, é possível achar oportunidades de investimento em imóveis que chegam a custar em torno de 50% do seu valor final, em troca de esperar pela entrega do mesmo após o período de vários meses, e até anos, de construção.

No investimento em imóveis na planta, o objetivo é aproveitar o baixo valor de aquisição e a valorização da edificação para aumentar o preço de venda e gerar lucro. No entanto, é possível que isto não aconteça – principalmente em casos que se paga um valor muito próximo do preço de mercado final do imóvel. Desta forma, você aposta todo o seu investimento na esperança de que a região vai valorizar até a entrega do imóvel – o que pode vir a não acontecer.

Este tipo de problema é ainda mais comum em casos em que o investidor aceita pagar valores mais altos por imóveis na planta porque existem projetos de melhorias na área ou instalação de pontos de interesse, como shopping centers. Não é um erro acreditar que estes empreendimentos vão valorizar, e muito o imóvel, contudo, é preciso, também, considerar a possibilidade de que estas melhorias não sejam realizadas no tempo em que se espera – o que deixa o investidor com um imóvel que acaba gerando despesas enquanto espera pela sua valorização.

Como evitar?

É importante buscar opções seguras de investimento em imóveis e estar atento aos detalhes antes de realizar a aplicação. O importante deste tipo de investimento é ser capaz de revender rapidamente o imóvel após a sua entrega, evitando perder rentabilidade com custos para mantê-lo. Assim, o investidor que busca adquirir um imóvel na planta para revenda deve focar sempre em regiões que já estão em processo de valorização – onde já é possível verificar indícios de crescimento –, ou áreas já consolidadas da cidade.

Para garantir que vá conseguir vender o seu imóvel sem dificuldades, busque sempre por bairros que já têm alta demanda por imóveis ou áreas que demonstram sinais de que estão se desenvolvendo – como o aparecimento de novos comércios e serviços, a construção de centros comerciais e outros empreendimentos, ou o asfaltamento de ruas e revitalização de praças e espaços públicos, por exemplo.

Segunda armadilha: o aluguel que não rende

O investimento em imóveis para aluguel é uma opção muito atrativa para os investidores – afinal, não apenas o seu dinheiro está seguro em uma aplicação que mantém o seu valor e acompanha as altas da inflação, mas, também, há a possibilidade de receber renda mensal sem a necessidade de aplicar mais dinheiro. Na teoria, é o investimento dos sonhos, com potencial de rentabilidade ilimitado.

Na prática, pode não ser bem assim. Existem imprevistos que podem gerar prejuízo para este tipo de investimento em imóveis, sendo que a grande vilã do aluguel é a vacância. Além de não gerar renda, os períodos em que o imóvel está ocioso acabam gerando despesas de manutenção ao proprietário. Da mesma forma, reformas em imóvel para locação podem ser catastróficas, pois indicam espaços de tempo em que ele não poderá ser utilizado e com a necessidade de mais custos de investimento.

Como evitar?

No investimento em imóveis para aluguel, é importante estimar o seu retorno para descobrir se a aplicação do seu dinheiro valerá a pena: o mais relevante para é ter um bom rendimento em cima do dinheiro aplicado. A rentabilidade de uma locação normalmente é de entre 0,5% a 1,5% do valor total do imóvel – o que pode, por si só, já ser um investimento bastante rentável ao longo prazo.

Contudo, é possível aumentar o índice de rentabilidade do seu negócio comprando imóveis abaixo do seu preço de mercado, aproveitando as oportunidades. Além disso, é importante ter em mente que pode ser mais fácil manter um bom índice de retorno com investimentos menores em vários imóveis, de forma que você corra menos risco de perder dinheiro com imprevistos, do que apostar em apenas um grande investimento que tem possibilidade de gerar uma quantia maior de aluguel.

Terceira armadilha: a reforma perpétua

O investimento na construção ou reforma de imóveis para venda também é uma forma de aplicação muito procurada, pois pode ser rentável para o investidor. No entanto, é comum que aconteçam imprevistos que atrasem o fim da obra, podendo estendê-la por vários meses, ou até mesmo anos.

Para o investidor, essas são péssimas notícias. Além de gerar mais gastos com mão de obra e compra de materiais do que o anteriormente estimado, isso significa mais tempo sem o recebimento de retorno financeiro – afinal, são meses sem poder vender ou alugar o seu imóvel.

Como evitar?

A palavra é planejamento. O sucesso deste tipo de investimento é a organização do projeto e o acompanhamento das datas de entrega. Além disso, é importante que você contrate profissionais responsáveis para ajudar na estimativa de tempo e recursos necessários para a realização da obra, com equipes consolidadas e que garantam a execução do projeto no tempo previsto – assim como a compensação de problemas ou defeitos na construção.

0
master
Posts Relacionados